26 de mai de 2017

She’s the crazy ex-girlfriend!




She’s the crazy ex-girlfriend! What? No, I’m not

Rebecca Bunch não é feliz, ela trabalha em Nova York como advogada, fazendo sucesso até que recebe o convite para ser uma das sócias de seu escritório e sem saber como responder ela tem um ataque de pânico que a leva a se perguntar se realmente é feliz com tudo isso. Enquanto tenta decidir o que fazer com sua vida e não entrar em total desespero, Rebecca encontra seu ex-namorado, Josh Chan, que conta estar de mudança para sua cidade natal, West Covinaaaa Californiaaaa, em busca de uma vida mais simples e feliz, de repente Bunch resolve que a melhor coisa que ela pode fazer é se mudar para a cidade que fica a apenas duas horas da praia; quatro se tiver trânsito.

Com um título mais que sugestivo e uma mudança radical para a cidade onde coincidentemente vive o ex-namorado da protagonista você obviamente se entregaria ao errôneo pensamente de que Crazy ex-girlfriend é uma série sobre uma ex-namorada maluca, mas se você assistir a série com bastante atenção vai perceber que é ai que está a piada - além dos números musicais - e que Rebecca pode até ser maluca e a ex-namorada de Josh, mas é com o passar dos episódios que a fazem ser Crazy ex-girlfriend.



Perceba bem, durante a série a maior parte das situações em que Rebecca se mete são criadas por crenças externas, ela corre atrás de seu príncipe encantado - que acredita ser Josh - e faz de tudo para conseguir o que precisa para ser feliz, já no segundo episódio da primeira temporada da série ela chega a ficar obcecada pela linda namorada de Josh, Valencia, isso porque acha que essa mulher é melhor que ela em vários aspectos, por isso aprende tudo sobre ela, vai aos mesmos lugares que o casal frequenta e tenta até aprender ioga, porque pensa que só sendo como ela conseguiria essa felicidade que tomou forma de homem e que na real nem a faria tão feliz assim.

Não pense que Becca é apenas uma vitima dessa cultura que leva as mulheres a acreditarem que precisam ser e agir de certa forma, ela é muito feminista sim, não é a personagem ideal feminista que sempre vemos por ai nas séries, porque para essa série é melhor que não seja óbvio. Sabemos com o passar dos episódios que ela leu todos os livros, entende do assunto, é feminista tão convicta que chega a se inscrever para dar aula de empoderamento feminino para meninas em um acampamento e tenta desconstruir a rivalidade entre mulheres e tudo isso só mostra que nem mesmo uma mulher tão bem informada sobre esse assunto está imune a esse conflito entre o que se acredita e o que se sente.



Não é difícil descobrir que os musicais não estão ali apenas para a diversão de quem assiste a série, as músicas são representações do que pensa Becca e é por isso que estão cheias de referências a contos de fadas e desconstroem tão bem comédias românticas, Rebecca não vive em uma história perfeita, ela está no mundo real, no nosso mundo, sofrendo todas as influências externas e quando ela percebe que está fazendo algo que talvez não precisasse e que vive procurando uma vilã para uma história sem dois lados, nos entrega um dos melhores números musicais da série, "I’m The Villain in My Own Story".

Muitas das músicas que encontramos na série são verdadeiras desconstruções e ás vezes revelações de sentimentos humanos, "You Stupid Bitch", por exemplo, mostra o quanto Rebecca está afundada em seu ódio por si mesma, enquanto em "Sexy French Depression" é ironizada a forma como transtornos psicológicos são romantizados e até outros personagens conseguem ter músicas que mostram muito mais deles mesmos.


Crazy Ex-Girlfriend é inteligente ao passar sua mensagem em uma roupagem leve sem deixar que todos os problemas apresentados sejam vistos como menores por causa de toda a cantoria, a série conta sua história principal e com ela uma outra que só vê quem presta bastante atenção, até que chegamos ao fim da segunda temporada com a revelação que mexe com qualquer um que assista a série e saiba entender os recados deixados em todos os episódios anteriores, a situação tem mais nuances que isso!


Leitores, espero que entendam que não expliquei muito sobre a história ou falei muito de outros personagens porque o foco aqui era Rebecca e tudo o que envolve ela ser a Crazy Ex-Girlfriend (a série já tem duas temporadas ótimas e se você ainda não assistiu, corre, sério) e que tenham gostado do post, não esqueçam de dar aquela comentadinha que eu amo e seguir o blog aqui, curtir lá no facebook, a gente ta em várias redes sociais, acompanha pra saber o que acontece aqui, vai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram