11 de set de 2017

Pipoca com Chocolate | It: A Coisa


A cidade de Derry é testemunha de uma série de desaparecimentos de crianças, sendo uma dessas crianças Georgie, irmão de Bill, que não consegue superar o acontecimento e acredita que o irmão ainda pode estar vivo. Com o passar do tempo, o mistério não resolvido e ainda mais crianças desaparecidas, Bill e seus amigos - o clube dos perdedores - decidem ir mais a fundo e, após começarem a serem assombrados, descobrem existir uma Coisa responsável pelos desaparecimentos e por muitas das coisas ruins que acontecem na cidade.

Se você ainda não assistiu a It: A Coisa espera por um filme de terror, ao menos é isso que se espera quando o trailer do filme entrega a premissa de um filme bem "terrorzão", mas vá ao cinema com uma certeza: It é mais que sangue, membros decepados e vísceras - apesar de usá-los com sabedoria.

A história de It, nessa nova adaptação, não consegue se limitar apenas ao terror. Dessa vez focada apenas na primeira parte do livro de Stephen King, nos apresenta a crianças que enfrentam não apenas Pennywise, mas também seus medos mais reais, que estão descobrindo o quanto vale uma amizade nos piores momentos e o quanto crescer é assustador.




Dando inicio ao filme com sua sequencia mais famosa, o primeiro ato se concentra em nos apresentar as sete crianças do clube dos perdedores, aos seus medos e nos fazer afeiçoar a cada um deles, seja querendo que Bill resolva o mistério do desaparecimento de seu irmão, sendo conhecendo os traumas de Beverly ou rindo com as piadas ruins de Richie. E não apenas nessa parte do filme, o elenco juvenil consegue nos mostrar o talento que tem, todos eles, até mesmo os que tem menos tempo de tela, conseguem mostrar a que vieram, porém é impossível não destacar Finn Wolfhard e Sophia Lillis, eles estão maravilhosos no filme.

Pennywise, nossa força do mal em forma de palhaço, dessa vez vem carismático mas não deixa de se impor nas cenas de tensão, vestido de forma a mostrar que está aqui a muito mais tempo que nossas crianças, carregando um sorriso assustador e acompanhado de seus balões vermelhos, o palhaço e Bill Skarsgård, seu interprete, não deixam nada a desejar.

Talvez o maior erro do filme tenha sido não desenvolver personagens que precisavam disso, como por exemplo Henry Bowers, que poderia ser o clássico valentão clichê dos anos 80 e não teria problema algum, se não parecesse dispensável e sem história na maioria de suas cenas. Já os adultos, que também não são trabalhados - o pai de Bill aparece em apenas uma cena e a mãe é apenas mencionada - talvez tenham a seu favor a explicação de que o filme não é sobre eles e sim sobre as crianças.




Em resumo, It é um terror que prefere ter aventura, drama e uma boa história de amizade do que abusar dos sustos fáceis; um terror de nuances e que soube usar do sangue, dos sustos e da tensão na dose certa. Apesar de não ter apenas coisas boas, o filme é maravilhoso pra quem sabe assistir. Pegar a pipoca, esquecer do gênero do filme e curtir não vai fazer mal algum e se posso me arriscar em um conselho: Assistam no cinema, a reação das pessoas é incrível - e os gritos com as cenas de susto e risadas com as piadas horríveis de Richie são as melhores.


Enfim, espero que tenha convencido vocês a irem assistir ao filme, garanto que ele está incrível e se você já assistiu deixa sua opinião aqui nos comentários, ela é sempre muito bem-vinda. Não deixem de curtir nossas redes sociais para acompanhar tudo o que acontece por aqui, tem umas coisas bem legais tanto aqui no blog quanto nas páginas dele por ai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Segue o Página 394

Twitter

Nosso instagram